As Empatilhaças! 

Protagonistas que utilizam a ludicidade e a empatia para transformar seu cotidiano e seu coletivo!

Oferecer um espaço lúdico e de dialogo para meninas de -10 anos e mulheres de 50+ anos para questionarem juntas o papel da mulher na liderança. Com uma proposta inovadora, As Empatilhaças! são ciclos de jogos para estimular mulheres de diferentes gerações a repensarem seus papéis na sociedade e nas próprias vidas. Nas dinâmicas, os mediadores utilizam variados repertórios de recursos, como conceitos de arte, princípios dos diálogos saudáveis e até mesmo elementos lúdicos da figura do palhaço. Tudo pensado para que cada participante possa se inspirar e, principalmente, questionar seu próprio papel como líder. O objetivo central é que, ao reconhecerem-se como protagonistas, as meninas possam se descobrir e as mulheres possam simplesmente se reinventar. As Empatilhaças! Foi criada coletivamente por 3 organizações: Carlotas  e Actveda, de São Paulo, e o Teatro do Sopro, do Rio de Janeiro. Todas têm em comum o uso de exercícios sobre empatia em suas metodologias, sempre visando à busca de relações mais humanas. A iniciativa também terá o apoio do Movimento Lab60+ , que assume o papel relacionado a estruturação, direcionamento e criação de uma plataforma com escala do projeto. Esta afinidade entre os idealizadores, associada aos propósitos transformadores do projeto, contribuiu para que ele fosse escolhido para receber financiamentos, tanto da BrazilFoundation, quanto de uma parceria entre a Disney e a rede Ashoka de empreendedores sociais.

,  

 

 

NOSSAS PRIMEIRAS EMPATILHAÇAS ( Juliana e Vovó Neuza)

Fotos: Leandro Rodrigues

NOVO CICLO 2018 - INSCRIÇÕES ENCERRADAS

PRIMEIROS CONTATOS - EMPATILHAÇAS 2018

Professores da escola que receberá “As Empatilhaças!” são apresentados ao projeto

No último dia 15, as mediadoras Gabriela Treteski e Ana Carolina Dorigon apresentaram ao corpo docente da Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Prof. Laerte José dos Santos, localizada em Osasco (SP), os conceitos que serão trabalhados pelo ciclo de jogos colaborativos “As Empatilhaças!”, com início marcado para o próximo dia 22. Os professores tiveram oportunidade de “degustar” os temas de cada um dos 6 encontros que serão sediados na escola e aprovaram o formato lúdico das atividades propostas. Nas dinâmicas, 20 alunas dos segundos anos interagirão com a mesma quantidade de mulheres com mais de 50 anos. O objetivo central é que, ao reconhecerem-se como protagonistas, as meninas possam se descobrir e as mulheres simplesmente se reinventar. “As Empatilhaças!” é uma iniciativa conjunta das organizações Carlotas, Actveda e Teatro do Sopro, que têm em comum o uso de exercícios de empatia em suas metodologias.

Texto: Daniel Franchi / Fotos: Telma Liberti

Segunda fase do ciclo de jogos “As Empatilhaças!” começa com muita conexão.

No dia 22 de março, aconteceu o primeiro encontro do ciclo de jogos colaborativos “As Empatilhaças!” de 2018. Após a aprovação da fase piloto, que aconteceu no segundo semestre de 2017, esta nova etapa do projeto terá todos os eventos sediados na Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Laerte José do Santos, que fica em Osasco (SP). A dinâmica foi conduzida pelas mediadoras Gabriela Treteski e Renata Mendes, junto a 23 alunas do segundo ano - todas com menos de 10 anos de idade - e a mesma quantidade de mulheres na faixa etária acima dos 50. O tema do dia foi “autoconexão”, com brincadeiras que buscavam estimular a criação de vínculos entre as mulheres de diferentes gerações. Numa delas, por exemplo, foram formadas duplas compostas por mulher e menina, em que uma contava à outra o que sabia fazer de melhor. Em seguida, as informações eram partilhadas numa roda formada com todas as outras participantes.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Texto e Fotos Daniel Franchi 

Mulheres e meninas trabalham o “eu e o outro” no segundo encontro do Ciclo “As Empatilhaças!” 2018

Texto e Fotos Daniel Franchi 

Após terem exercitado o tema “autoconexão” no primeiro encontro do ciclo de jogos colaborativos “As Empatilhaças!” de 2018, foi a vez das mulheres e meninas trabalharem “o eu e o outro” na segunda rodada do programa, que aconteceu no último dia 5, na Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Laerte José do Santos, que fica em Osasco (SP).As mediadoras Gabriela Treteski e Renata Mendes utilizaram o “aquecimento dos sentidos” no início da atividade, com o objetivo de estimular a concentração das 19 meninas – todas alunas do segundo ano – e das 17 mulheres presentes ao encontro. Numa das dinâmicas, realizada em duplas compostas por mulher e menina, elas tiveram a tarefa de construir uma história, falando de forma alternada apenas uma palavra. Foi diversão pura.

Mulher e menina criando história conjuntamente: sintonia absoluta.

Texto e Fotos Daniel Franchi 

Ficou evidente, ao final da sessão, que é perfeitamente possível não só a interação, mas principalmente a criação conjunta, independente de idade. E sem qualquer tipo de barreira ou preconceito.

 

                     

 

 

A conexão entre diferentes gerações tende a ser cada vez mais necessária diante do aumento da expectativa de vida.

Texto e Fotos Daniel Franchi 

 

O projeto “As Empatilhaças!” é uma criação conjunta de Carlotas, Actveda e Teatro do Sopro. As 3 organizações têm em comum o uso de exercícios sobre empatia em suas metodologias, sempre visando à busca de relações mais humanas. E o próximo encontro já tem data marcada: será no dia 19 de abril.

No 3º encontro de “As Empatilhaças!”, a importância de aceitar as “imperfeições”

 

Texto e fotos por  Daniel Franchi

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

No dia 19 de abril, o ciclo de jogos colaborativos “As Empatilhaças!” chegou à metade do programa. Foi o 3º encontro, que reuniu 15 mulheres e 22 meninas, alunas do terceiro ano da Escola Municipal de Educação Fundamental Prof. Laerte José dos Santos, onde acontecem as atividades. As mediadoras Renata Mendes e Gabriela Treteski conduziram vivências que tiveram como ideia disparadora a “imperfeição”. Nelas, as participantes puderam refletir sobre a importância de se assumir exatamente como é, algo fundamental para se exercer o protagonismo da própria vida.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Confiança, partilha e muita conexão no 3º Encontro de “As Empatilhaças!” 

 

Numa das dinâmicas, elas partilharam, em grupos, situações em que sofreram algum tipo de preconceito. Em outra, cada uma contou a todas as demais uma característica pessoal que lhe causava incômodo. Foi um processo que aflorou muita emoção, além de estreitar ainda mais a conexão entre elas.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Muita emoção na partilha de situações de preconceito sofridas pelas participantes. 

O projeto “As Empatilhaças!” é uma criação conjunta de Carlotas, Actveda e Teatro do Sopro. As 3 organizações têm em comum o uso de exercícios sobre empatia em suas metodologias, sempre visando à busca de relações mais humanas. E o 4º encontro já está marcado para o dia 3 de maio.

Participantes de “As Empatilhaças!” experimentam as “emoções” no 4º encontro

Fotos e texto por Daniel Franchi

 

 

 

O ciclo de jogos colaborativos “As Empatilhaças!” teve sequência no dia 3 de maio na Escola Municipal de Educação Fundamental Prof. Laerte José dos Santos (Osasco – SP). O tema deste 4º encontro foi “emoções”, com vivências que marcaram fortemente as 12 mulheres e as 25 meninas presentes. O foco das mediadoras Gabriela Treteski e Renata Mendes foi despertar nas participantes não só a importância de se estar atento aos diferentes tipos de emoções demonstrados pelos outros, mas principalmente o reconhecimentos das próprias emoções, algo fundamental para o estabelecimento de relações mais humanas.

Mulheres e meninas exercitando mutuamente o reconhecimento das emoções. 

Houve até o uso individual de espelhos, para que cada uma pudesse interpretar para si mesma emoções como alegria, raiva, medo, decepção, entre outras. Tudo de forma leve, divertida, mas rigorosamente tocante. Com isto, foi preparado o terreno para o outro importante tema que será abordado na próxima etapa: empatia.

As mediadoras fizeram uso de espelhos para reforçar o reconhecimento das emoções.

O projeto “As Empatilhaças!” é uma criação conjunta de Carlotas, Actveda e Teatro do Sopro. As 3 organizações têm em comum o uso de exercícios sobre empatia em suas metodologias, sempre visando à busca de relações mais humanas. E o próximo encontro já tem data marcada: será no próximo dia 17, no mesmo local.

A “empatia” marca presença no penúltimo encontro de “As Empatilhaças!”

Fotos e texto: Daniel Franchi   

           

 

 

 

 

Talvez pelo motivo de ser a especialidade das organizações criadoras do ciclo de jogos colaborativos “As Empatilhaças!” – Carlotas, Actveda e Teatro do Sopro –, o tema “empatia” entrou de forma marcante na vida das 21 meninas e ganhou o devido destaque junto às 14 mulheres que participaram do 5º e penúltimo encontro do projeto, que aconteceu no dia 17 de maio, na Escola Municipal de Educação Fundamental Prof. Laerte José dos Santos (Osasco – SP).

            As mediadoras Gabriela Treteski e Renata Mendes, da Carlotas e da Actveda, respectivamente, prepararam dinâmicas que valorizaram a importância do “olhar do outro” para a abertura de novas perspectivas para a vida. Num jogo chamado Click, por exemplo, as mulheres de diferentes gerações, em duplas, alternavam os papéis de “guia” e de “conduzida”, num passeio pelas proximidades da sala do encontro. A “conduzida” deveria permanecer com os olhos fechados, até a “guia” encontrar um lugar ou objeto que pudesse lhe despertar curiosidade, autorizando-a, ao dizer a palavra “click”, a abrir e fechar os olhos, como se fosse o disparo de uma câmera fotográfica.

Legenda: Mulher conduzida por menina no jogo Click: a importância do “olhar do outro”. (Crédito do filme: Daniel Franchi)

            Além da empatia, as brincadeiras também estimularam a flexibilidade, a criatividade e a capacidade de cocriação.

Foto: arquivo “Cocriação_Encontro5”

Legenda: Mulheres de diferentes gerações exercitando a cocriação. (Crédito da foto: Daniel Franchi)

            O 6º e último encontro acontecerá no dia 24 de maio e trará como tema a “interdependência”: a maneira como somos afetados tanto pelo outro, quanto pelo ambiente, e vice versa. Além disso, estão previstas as aplicações de algumas das dinâmicas realizadas no ciclo pelas meninas, nas próprias salas de aula onde estudam. Com isso, elas terão a oportunidade de reforçar ainda mais o conceito de protagonismo, que foi amplamente trabalhado pelo projeto.

Quer saber como foi nosso ano em 2017? Clique aqui

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

                                                                                                                                                             

 

Realização                                                                                                Patrocínio 

  • Facebook - Black Circle
  • YouTube - Black Circle
Abrace_a_Demência.jpg

Apoio Institucional: INDEPP

55 21 3923 5386

1° Contato - Empatilhaças 2018

Educadores do Laerte, antes da apresentação.